Pesquisar este blog

sábado, 21 de março de 2015

SEREI DESTE E DAQUELE




Serei deste e daquele, nada de mim.

Que quem tudo quer nada tem.

Mas não me usem nem abusem assim

quem tanto desprendimento não atém.



Se outros houvera, de outras maneiras,

quero-os aqui, da mesma forma com que eu

me mostro a esse outro: é como ir pelas lombeiras

de um livro, a atingir tudo quanto prometeu.



Serei tudo quanto for de mim, se no outro -

e apenas aí -, não houver qualquer presunção:

dele pra mim, como de mim à aqueloutro:

que é o mesmo e o outro diferente, por sua assunção.



E assim serei tudo o que quiser, pondo diligência

no gesto que aprouver: tão natural quanto eu!



Jorge Humberto

20/03/15

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um comentário: