Pesquisar este blog

sábado, 7 de março de 2015

HOJE E AMANHÃ, RAZÃO DE MEU VIVER!





Tempos meus, que são tempos no porvir

hão-de estas minhas mãos quere-los aqui:

e de ora em diante sentir que os vivi:

com uma força tal que só tem o que há-de vir.



E o que vier desta forma será tudo a existir:

arcos, flechas, terras semeadas, além e ali;

novas invenções; altas gruas, outras casas aqui;

e ora nós e nós em todos e extensos jardins, a florir.



Ah, querem-nos presos, às correntes do passado!

Que a mentira, dita muitas vezes - vezes demais -,

torna-se na verdade, de quem mente, em demasiado.



Por isso, eu digo, há um caminho, que se quer desejado!

E o que é de hoje e de amanhã – e mais e mais -,

espera-nos mais à frente, há espera de ser ultrapassado.



Jorge Humberto

06/03/15

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário