Pesquisar este blog

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

NÃO VÁS, AMIGA!








Como dizer-te adeus, minha querida amiga,

Sem que a dor de não mais estarmos juntos

(Às minhas queixas ou na mui felicidade até agora tida

Amiga fiel que me trouxe novos mundos aos mundos)





Faça de mim cosa triste que não entendo?

Entre o sol e a escuridão outras coisas inda virão.

Mas sem a tua presença que de mim se vai escondendo

O que restará senão o medo e um mui triste coração?





Menina bonita irradiando mil constelações

Sempre apelando àqueles que mais sofriam

Fazes de tua mui nobre profissão tuas reais razões





Pra que cada dia se manifeste como eu bem vi

Quando aos demais davas atenção e a ti ocorriam.

Não vás! Eu sou aquele quem sempre mais necessitou de ti.





Jorge Humberto

01/01/15

Nenhum comentário:

Postar um comentário