Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

JE SUIS CHARLIE!





Segue teu caminho,
Com o peso do mundo sobre as costas,
Com as armas enferrujadas desmontadas,
escondidas sob tuas asas negras deformadas,
Voar jamais poderia,
Tuas asas não eram pra voar, mas pra esconder monstros...
Agora vai, com todos os perdidos agarrados em ti,
Fazer vitimas, pode parecer inócuo,
Mas, não é aqui, pago o tributo,
Serão muitas dores, muito ranger de dentes,
Muito desespero, solidão e escuridão,
Todas as tuas vitimas lhe cobrarão gritando,
Assombrarão tuas lembranças todas, com horas de aflição,
Momentos de loucura, desespero,
A multidão, aqui da Terra, marcha sobre teu nome,
Tua imagem é tratada como aberração,
Carrega agora o peso do mundo,
na culpa que todos te atribuem,
já que, não sente culpa pelo terror deliberado,
Serão milênios, na sombra de que Deus for,
Não será visto, não será socorrido, não será perdoado,
Não se comete crimes em nome dEle,
Também não se escondem culpas,
E todo o solo que pisar, estará coberto de sangue,
E tuas asas negras, perecerão como tua alma,
roídas, dissecadas, carcomidas,
pois pela casa dEle, ninguém passa impune...
Je suis Charlie!!!

Vera Celms
Licença Creative Commons
JE SUIS CHARLIE! de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Um comentário:

  1. Bom dia maninha Vera! Teu poema será bandeira hasteada para nunca esquecermos, nunca cedermos á violência e, a que tenta calar os corações de paz que anseiam por um mundo melhor, parabéns pela belíssima e importantíssima obra, grande beijo da manaMIL.

    ResponderExcluir