Pesquisar este blog

sábado, 25 de outubro de 2014

TEU NOME, ISABEL



Menina e moça mulher jovial e de uma beleza
Rara e de tamanhos encantamentos
Mais que a beleza fêmea plena de subtileza
Tão tua é de tua humanidade afrontamentos


Quando vês entre uns e outros a divisão
A incúria dos que falam pela voz doutro alguém
Como se fossem deles o santíssimo coração
Dos quais fazem uso e abuso como ninguém.


Perdoai-os, Isabelinha, tua alma é muito maior
Que a mesquinhez dos que parem a maldade
Tua é a ajuda para com os demais não há deslealdade.


Esta minha vida leva-te em agradecimento mor
Por tudo o que tens sido para mim - encanto de poeta
Jamais uma janela fechada grade ou espoleta.


Jorge Humberto
16/10/14

Nenhum comentário:

Postar um comentário