Pesquisar este blog

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

SONETO A MEU AMOR



Nasce o dia doira o sol – penso em ti!
E tal qual como que num imenso jardim
São das flores perfeitos-amores
Os sugestivos beijos em subtis olores.


Ontem como hoje lembro bem
Que não foras tu não seria mais ninguém…
Que não foras tu que poderia eu almejar
Que não o ficar sem caminho pra caminhar?


Ah, e nesse dia em que enfim te conheci
Foi lá que mi alma simples deixei -
E uma tal de febre em desassossego a sosseguei!...


E é por tudo isso e por tudo o que então vivi
Que jamais esqueço estas palavras singelas:
E foram portas amor e foram janelas.


Jorge Humberto
05/08/14

Um comentário:

  1. Belo nascedouro de um amor... alma da amada, que o amado cria... doce sentimento, doce sonho... como é doce amar!!! beijos de VC, querido amigo Jorge...

    ResponderExcluir