Pesquisar este blog

domingo, 27 de julho de 2014

E VOCÊ PODE SER A ÚNICA PARA SEMPRE



E se a momentos me perdi e olhos estranhos
Busquei depressa descobri que esses
Estranhos olhos não eram os teus - tamanhos
Castanhos doces enlevos que reservei.


E se ainda hoje os procuro no silêncio mais escuso
É porque em mim jamais esqueceu
Esse olhar tão teu que do clarear do dia faz uso
Para nele permanecer quem por eles se apaixonou.


E se versos te canto com tanto e tamanho encanto
No caminho errado que tomei eras tu
Quem eu mais buscava… entretanto… entretanto.


E é por tudo isto que te digo, meu amor, jamais renegues
Àquele que do teu amor se alimenta
Com a verdade na boca e no coração quem o segue.


Jorge Humberto
27/07/14

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O PRIMEIRO LIVRO, MIL E POETAS!

  


































PRIMEIRO LIVRO

Primeiro dos filhos da escrita 
Realização dos amigos poetas
Ilustrando a literatura
Magia dos Acrósticos
E belos poemas góticos
Ideal que se concretiza
Raiando sol que ilumina
O nascer de nosso dia!

Livro, nosso primeiro livro
Imagens e muita poesia
Voo bendito dos talentos
Revelando a sua emoção
Os escritos de sentimento!

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
21/07/2014
Obra protegida


                                              
 www.livrariasaraiva.com.br/.../poemas-acrosticos-goticos-maria-iraci-leal...                

ESPERANÇA, VIDA EM ETERNA PRIMAVERA! PROSA MIL.



































Esperanza, La vida em eterna primavera! 

La vida pasa, el tiempo corre rápido y después de tanto caminar, cruzando montañas y tormentas, aprender a nadar contra la corriente de los ríos, los altibajos de la vida, nos dimos cuenta de la gran lección que nos ha dado la vida! Y ante tantas cosas, esperando liberarse, nos estamos obligados a buscar algo más grande, permitiendo una mayor resistencia, algo de luz en el camino... Y es en el sufrimiento que siempre buscamos Dios, el consuelo y el refugio! ¿Y no es que en esta conversación com Dios, renacemos en la creencia (olvidada)? El hombre renace en su Fe! 
Y cuándo quiere ser feliz, tratando de superar el sufrimiento, 
se convierte en un niño de la esperanza , un discípulo de Cristo, 
el hijo de Dios pródigo que regresa a su casa ! No le importará cómo serán los días, él no temerá las tormentas o el mar embravecido, no temerás los desafíos! Y él estará seguro de que la vida es y siempre será como Dios quiere! En todo en la vida, siempre hay una razón (para aprender, evolucionaro)... Ante el frío extremo (cosas absurdas de la vida) y la ventisca de desafectos, 
el suave calor de la luz que habita su alma, 
le hará sentirse en la eterna primavera, 
en la fuerza de su esperanza, su fe! 

Maria Iraci Leal/MIL 
POA/RS/Brasil 
19/07/2014 
Derechos de autor

domingo, 20 de julho de 2014

ANNA KARENINA NOSSA RAINHA... ACRÓSTICO MIL.


AQUELES DIAS... POEMAS MIL.




POEMA DE AMOR



Neste sorriso me perdi por nele encontrar
Quem tanto busquei já eu nascia pra te amar.
Do sorriso ao primeiro beijo descobertas a haver
Vontades ou ensejos o desejo a nos percorrer.


Que no teu corpo calaram tamanhos segredos
Perdidos se mostraram tantos e tantos medos.
O que então amei na noite a noite primeira
Ficou subentendido na respiração altaneira…


E era tão nossa tão nossa essa vontade suprema
E era tão grande tão grande o nosso amor
Dias e noites nas noites e dias a nos enamorar


Que o que ficou se fez eterno e amado lema
Que o que restou fomos nós e em nós o calor
Que jamais esqueceremos o que então fomos buscar.


Jorge Humberto
20/07/14

SEGUINDO SÓ





Conquistei um lugar, um canto,
Ao longo da vida, tão meu,
Tantas foram as tardes,
Algumas as noites,
Em que pensei, em que sofri,
Em que jurei não mais me entregar
Neste canto, tenho a mim como companhia
Minha solidão, minha amiga,
Não me tire daqui,
se em troca, não puder me oferecer companhia,
Não interfira no meu silencio,
se não puder suportar meu barulho...
Neste meu canto, ninguém entra sem convite,
Ninguém sai, sem que eu queira,
Ninguém é parte,
Ninguém é mais que eu,
Nesse meu canto, lugar conquistado,
Nem convite é garantia de permanência,
Nem vontade é motivo para deserção,
Conquiste-me, e seremos dois
Do contrário, seguirei sozinha,
No meu canto...

Vera Celms
Licença Creative Commons
SEGUINDO SÓ de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

A UNIVERSALIDADE DAS COISAS



Oh, minha doce, mulher
É sempre como num simples dedilhar
De cordas, nas cordas de um piano,
O que o bem-querer sempre quer,
Quando se apresenta
E corre, do mar ao largo,
O que vai e vem, de um a outro lado:
Quando os sons são mais acordados.
Já o fizeram antes, como dentre e fora, dentro de nós -
Para amainar talvez as luzes menos correctas.
E como por entre taças de vinho e de mel,
Com lagos cheios de águas cristalinas,
É que devemos parar e observar genuinamente,
A universalidade do que existe para ser:
Todos os bocadinhos singulares,
Que fazem de nós mais do que nós a sós!
Jorge Humberto
10/07/2014

segunda-feira, 7 de julho de 2014

DEIXA DOER





Sangue que escorre,
Vivo, como tardias lembranças
Na carne quente,
A fria tesoura cravada
Como o olhar de minha mãe,
Questionando o porquê de todas as coisas
E eu, sem aceitar, e sem questionar
Como entender que as coisas aconteçam
Despretensiosamente,
Se ainda trago tão vivo
O som da voz, gritando,
O ódio no olhar,
O tremor nas mãos incertas,
A desproteção, diante do exequível,
Tormento incontestável,
De repente, o sangue escorre,
Alheio a tanta história,
Fazendo (re)lembrar, o que nunca consegui esquecer,
Bastam, duas gotas de sangue,
A roupa clara, não oculta,
A alva tez lateja,
A ferida aberta, durante toda a vida,
Teme toda mão,
Ardendo e queimando,
Recusando a cura,
Deixando doer....

Vera Celms
Licença Creative Commons
DEIXA DOER de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional