Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

INTERNAMENTE EXPOSTO (Soneto principal do meu próximo livro "Internamente exposto" - capa provisória). Previsão de lançamento para o mês de dezembro.





















Sou no que me transformo totalmente, 
Num real tempo findo e no futuro; 
E acima do que pensa a tua mente,
Sou amargo, feliz, lírico e puro!

E tenho veleidades absolutas,
Sou vida e morte de tantos critérios!
Destas páginas com tão bravas lutas,
Sou só amor, ou dor dos cemitérios!

Sou fome, também fortes de saudades;
Curo homeomorfo - a alma peregrina,
Condenso-me às matérias verdades.

E sou muito mais do que me imagina,
Sou martírio das insanidades,
Sou universo que nunca termina!


Eduardo Eugênio Batista



2 comentários:

  1. Excelente soneto... Parabéns, abraços e sucesso!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns querido amigo Edu, como sempre nos encantando com tua escrita... Te desejo muito e muito sucesso no teu livro, grande beijo da MIL.

    ResponderExcluir