Pesquisar este blog

domingo, 6 de outubro de 2013

DELAÇÃO PARTICULAR





Quem me dera ser sua amada
E assistir ao arrepio do seu corpo
bem de perto
Quando chego,
empurrando a porta sempre destrancada
do teu coração...
te pedindo um beijo...
Ouço-te chamando,
Reclamando minha ausência
E por mais que negue,
Se delata num único suspiro!

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho DELAÇÃO PARTICULAR  de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

4 comentários:

  1. Gosto sempre de passar por aqui e beber uma dose de poesia...
    Abraços e sempre meu carinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Malu, o copo sempre estará cheio, esperando você. Obrigado pela passagem. Volte sempre, volte mais... Beijos de VC

      Excluir
  2. Nossa! Toda uma verdade contida neste poema. É assim mesmo quando o nosso amor vai chegando; não há como conter... O coração pulsa, as veias latejam, lábios se lambem na língua, a excitação aumenta...; a paixão explode em seguida. Perfeito. Muito belo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, querido Edu, muito bom seu olhar sobre meu poema. Adorei, obrigado pelo comentário e visita ao meu trabalho. Beijos de VC. Volte sempre, volte mais...

      Excluir