Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

POESIAS CLASSIFICADAS DA CATEGORIA II ( ACIMA DE 17 ANOS)



O “IX Concurso Plínio Motta de Poesias” será realizado no anfiteatro da Prefeitura de Machado-MG, às 20hs do dia 09 de novembro de 2013.
------------------------------------------------------------------------
POESIAS CLASSIFICADAS DA CATEGORIA II ( ACIMA DE 17 ANOS)
--------------------------------------------------------------------------------------------
Álvaro Campos de Carvalho= (AVISO AOS NAVEGANTES) Machado-MG
Jorge Nuno= (A LA CARTE) Bragança/Portugal
Robério Campos Costa= (DEMÔNIOS) Machado-MG
Flávio Rubens M. Queiroz= (EXAMINANDO FOTOGRAFIAS) Cabo Frio/RJ
Adelaide Aparecida Pereira (MENINA DE RUA) Machado-MG
Tiago Correia de Jesus (POEMA DO DAR) Salvador-BA
Gabrielly Terra Freire=  (SAUDOSISMO) Machado-MG
Amélia M. Raposo da Luz = (SEDUÇÃO) Pirapetinga-MG
Ademar Jesus Bueno (SONETO DA PRAIA GRANDE) Varginha-MG
Geraldo Trombin= (TANTO MAR) Americana/SP
---------------------------------------------------------

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

FICA COMIGO








Por um momento,
Por um dia,
Ou, por quanto tempo ficar...
Mas fica inteiro...
Fica todo...
Esquece o mundo,
Esquece o relógio,
Esquece o amanhã...
Fica comigo...
Te dou meu carinho,
Te dou meu coração,
Te dou toda a atenção que quiser...
Mas, fica comigo...
Talvez te cubra de beijos,
Talvez te encha de esperanças,
Talvez te confie o toque do meu segredo...
Fica comigo...
Quem sabe te conte dos meus desejos,
Quem sabe te leve a loucura, ou perto dela...
Quem sabe te dê meu corpo, ou não
Quem sabe te mostre meu medo,
Quem sabe chore no teu ombro,
Quem sabe fuja de você!
Mas, pelo menos tenta...
Fica comigo... fica vai!!!

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho FICA COMIGO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 27 de outubro de 2013

CORAÇÃO QUE VOA (poesia inclusa no meu segundo livro, a ser lançado em breve)




Na intensidade da chama que tanto busco,

Forte..., vêm os princípios da lei dos amores,

Que nos ensejos, ofusco;

Sempre teimoso e alheio,

A me servir sem favores...!



E esse calor que me ronda..., até incessante,

Tem nome, não idade; é infante o meu gosto

Ao chamado constante...

É ele, este meu coração,

Que estampo sem rosto!



Mas, ele voa sem ter medo ou maldades;

Traga a presença da vida, rindo, trocando,

E digerindo as verdades,

Envolvendo-me desejos,

No assim, tudo amando!



Vai longe feito um pássaro, voa sem pressa...

Em outros ninhos é feliz, mas, não se revela;

Das alvoradas regressa,

Triunfante, nesta prova

De cada noite, tão bela!



Pessoas são muitas e sem ter uma privilegiada;

Seus prazeres em lágrimas, o meu peito povoa.

Querem a minha morada,

Mas..., sou livre feito o ar;

Ah, meu coração que voa!



Eduardo Eugênio Batista


Atenção! Poesia protegida por lei

terça-feira, 22 de outubro de 2013

NOSSA ARVORE

QUANDO A VEJO SE FAZENDO DE FELIZ
PENSO O QUE FOI QUE ACONTECEU
QUE SE PASSOU EM SUA VIDA
SERA QUE VOCÊ SE ESQUECEU
..........................................................
NÃO LEMBRA NOSSOS ENCONTROS
A SOMBRA DE NOSSA ARVORE PREFERIDA
JUNTO A ELA AS JURAS QUE TROCAMOS
JURAS POR VOCÊ  ESQUECIDA
......................................................................
ESQUECEU O TREMOR DE VOCÊ EM MIM
ERA EU VOCÊ MAIS NINGUEM
VOCÊ MINHA PRIMEIRA MENINA
EU SEU PRIMEIRO TAMBEM
..............................................
LEMBRA DAQUELE BEIJO MOLHADO
SEI QUE É DIFICIL ESQUECER
BEIJO QUE SUFUCOU NA GARGANTA
O GRITO DE VIRGEM QUE DEIXAVA DE SER
...........................................................
SEI QUE QUANDO VE NOSSA ARVORE
EM SEU TRONCO UM CORAÇÃO DESENHADO
DENTRO DELE SEU NOME E O MEU
LEMBRA  SEU PRIMEIRO NAMORADO
...........................................................
HOJE VOCÊ  SE FAZ DE FELIZ,
MAIS SÓ PRA QUEM NÃO CONHECE
SEI QUE COMO EU VOCÊ SOFRE
O PRIMEIRO AMOR NÃO SE ESQUECE

M A N O E L   C O R R Ê A






segunda-feira, 21 de outubro de 2013

CAUTELOSA





É chegada a hora
Olhar com olhos de verdade,
ou de promessa
Sentir o que é real
Sofrer com o horror
Fugir daquele que te faz mal
A sombra é ruim, só pra quem tem frio
E o acostamento pode ser lugar seguro
Ou fugimos do incerto,
Ou nos escondemos do suspeito
Pode ser monótona,
mas, tão segura é a mansidão,
O estampido pode vir de qualquer lugar,
Melhor estar aqui
Distante das mentiras, das enganações,
No escuro, todo gato, parece pardo
E pode ser filhote feroz de uma fera
Cautela, é proteção,
ou só preservação, mas ajuda...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho CAUTELOSA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada