Pesquisar este blog

domingo, 29 de setembro de 2013

VINGANÇA





Partir sem dizer pra onde
Deixar-te só,
Sonhando com a volta
E não voltar
Partir sem dizer adeus
Perder-me de vista
Sumir...
E um dia virar noticia
Encontrada; morta,
Com pulsos cortados
Sufocada com a própria meia-calça,
Cabeça envolta em saco plástico
Um punhal na mão
Um revolver caído ao lado do corpo
Nenhum bilhete,
Nenhuma pista
Nenhuma chance de contar historia
Fazer-te sentir culpado
Por toda vida,
ou até que a morte nos una novamente...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho VINGANÇA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

3 comentários:

  1. poema lindo mais tétrico não devia nem passar por sua cabeça tamanha loucura
    a vida é linda sempre tem alguem a te esperar pra te fazer feliz um montão de beijos tristes

    ResponderExcluir
  2. Não, amado MANECO, isso não passa pela minha cabeça não. Sou extremamente otimista com a vida, mas na arte, poso em todas as posições. Grande beijo, amado meu... de VC

    ResponderExcluir
  3. UM MAGNÍFICO TEXTO, ALIÁS UMA REALIDADE MUITO PRESENTE...PARABÉNS AMADA MANA VERINHA, BJS MILOKAMANA...

    ResponderExcluir