Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Amordaçado





Carrego a mordaça mordaz
Morbífica,
De um amor morbo.
Mendigo!
No muro dos lamentos,
Procuro vomitar em mim
E me acabo.
Corro para o nada
Nada me satisfaz.
Eu quero ser um balão a gás!
Solto,
Para me perder no infinito.
E, quando estiver bem no alto,
Explodir!
Sem rastro,
Sem destino.
Eu queria gritar bem alto,
Que não importa
Se a dor me acaba,
Mas, a alegria do que foi vivido
Me dignifica.
É o êxtase!
Não sofro pela suposta rejeição,
Mas me perdôo
Pela minha insistência
                    Imprudência...
                    O sorriso
                    E a demência.

Um comentário:

  1. Não há de sofrer pela suposta rejeição... todos nós, diante do desconhecido, estamos sujeitos a rejeição... e o reconhecimento, a imprudência, a insistência, o sorriso e a demência, são formas de aceitação própria, ou de passar pela situação... beijos de VC, e seja muito bem-vindo...

    ResponderExcluir