Pesquisar este blog

domingo, 11 de agosto de 2013

DELÍRIOS/ PLÊIADE...



DELÍRIOS

Desejo sempre delirantemente,
Do amor a sua pura essência.
Desejos e delírios do impossível?
Duvida só que não os tenha!
Devo eu seguir intermitente,
Dirigindo-me neste sentido.
Delírios? Não! É desejo sublime!

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
09/08/2013
Obra protegida










(Plêiade é um poema de 7 versos (septilha)
com título de apenas uma palavra, 
com versos livres, não é necessário rima. 
Deve ser constituído, cada verso iniciado 
com mesma letra e versado no tema "título" )


Um comentário:

  1. Obrigado por nos trazer, esta modalidade poética. Belíssima plêiade... gostei disso...
    Sempre aprendendo... sempre ensinando... beijos de VC, MANINHA MIL...

    ResponderExcluir