Pesquisar este blog

domingo, 28 de julho de 2013

SEDUTOR INVISÍVEL





Já ouvi tua voz pelo caminho
Sussurrou, cochichou,
Anônimo
O acostamento, a viela, o atalho
A sombra lhe cai bem
Invisível, monitorado
Chama-me MEU BEM
Mas, sua mão não toca
Seu olhar não vê,
Seu nome não lhe chama
Vem sempre no meio da tarde
Visita médica
Discurso exequível e raso,
Antiaderente, infundado
Desejo cirúrgico,
O importante é que me queira,
Não importa como,
Importa quê,
Grita entre paredes de cortiça
Sussurra no escuro sem tocar
Sem nome, sem numero, sem rosto,
Peso anelar esquerdo,
Flagrado, olha para o outro lado,
Assovia e sai andando,
Até um dia, até talvez, até quem sabe...

Vera Celms

2 comentários:

  1. Magnífico maninha Vera, meus parabéns, adoro como vc escreve, lançando, jogando no ar, fazendo-nos pensar, divagar....Amei, grande beijo Manamiloka.

    ResponderExcluir
  2. Maninha Miloka... que prazer ter vc aqui... não fujas mais... dorocê montão... mil beijos da MANALOKA DA VEROKA...

    ResponderExcluir