Pesquisar este blog

quarta-feira, 19 de junho de 2013

IGUAL



Você que vive na cidade
Montado em sua vaidade
sem pensar em  ninguem
Faça ao menos um gesto nobre
D e uma ajuda para um pobre
Que é igual a você  tambem
.........................................
Eu disse que é igual
Se você entendeu mal
Melhor vou te espricar
Como você ele tem alegria
Traz na mochila sabedoria
É amado e sabe amar
....................................
Não é somente o pobre
Que as pouco você descobre
Que é um igual a você
Tambem o pobre biruta
O cego aleijado a prostituta
Em fim todos que você ve
.........................................
É por isso meu amigo
Pensa bem no que lhe digo
E na mensagem que isto encerra
Eu pobre , você milionario
Vamos para o mesmo ossario
Depois de apodrecer sobre a terra


MANOEL CORREA
Licença Creative Commons
IGUAL de MANOEL CORREA é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.











2 comentários:

  1. Encantado pela beleza do poema e pela facilidade na escrita.

    ag

    ResponderExcluir
  2. Manoel querido, excelente teu poema, alertando para as diferenças, na maioria das vezes, tão iguais, tão despercebidas, tão ignoradas... todos somos gente, todos da mesma matéria que nasce, cresce, morre e apodrece, igualzinho... belo trabalho, beijos de VC, parabéns, meu amigo...

    ResponderExcluir