Pesquisar este blog

domingo, 14 de abril de 2013

ACREDITANDO







Ele apoiou o chapéu na bandeja
Por puro descuido
Desavisado o mágico,
fatiou o chapéu
Distribuindo a todos
Era bolo, era chapéu,
não importa,
Quem viu, viu chapéu,
Quem comeu, comeu bolo
Ninguém reclamou,
Nem da borboleta, no chapéu pousada
Nem do confeito, que o bolo enfeitava
Convicção, tão pura convicção
Acreditanto,
O mal, gaseificado, paira
E as nuvens, carregadas d´agua, fazem onda
Sei que estarei em seus braços
Se acreditar que me queres
Assim é que será
... Acreditar...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho ACREDITANDO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário