Pesquisar este blog

domingo, 10 de março de 2013

MENINOS TAMBÉM MORREM (homenagem ao CHORÃO)

Arte do querido ANDRÉ RUIZ... Obrigado André.... mil beijokas...


Partidas inesperadas
Atitudes desesperadas
Solitárias e tristes
Meninos também morrem
Viajam em seus skates,
Desta morada, de volta pra Casa,
Momentos em que não há plateia
Em que não há ninguém
Só o menino só,
Figuras de linguagem única,
Unicamente sua,
Poesia pura aspirada profundamente
E em rodopio,
O corpo em lépido arrepio
A lancinante alucinante dor
Num repente e tudo se apaga definitivamente
Ora aqui, ora não mais,
E o corpo inerte
Faz erguer uma Nação...
O menino de rua,
Crescido tão só,
Trafega livre emoção,
Em letras e cifras
Agora, todos choram tua falta,
...  CHORÃO!!!

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho MENINOS TAMBÉM MORREM (homenagem ao CHORÃO) de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

2 comentários:

  1. Um menino de tanta sensibilidade e talento, gênio na sua arte! Infelizmente o seu sofrimento foi tanto que perdeu-se do equilíbrio... O que dizer? Somos humanos e limitados, muitas vezes o limite é o nosso limite... Que ele esteja em paz agora, ficará em nossos corações!
    Maninha Vera, que belíssimo poema em homenagem ao Chorão, parabéns, bjs manaMIL.

    ResponderExcluir
  2. Pois é MANAMIL... ele foi morador de rua, esteve a mercê da propria sorte depois da separação de seus pais. Quem conheceu sua história se compadeceu e apesar de todo sofrimento chegou onde chegou. Abraçou sua arte, fez sucesso, virou ídolo de uma geração, lançando seu protesto e sua palavra. Ele realmente venceu na vida e perdeu para as drogas... muito lamentável isso... um grito surdo de uma solidão imensa... Saudade pra sempre... Obrigado Mana... beijos de VC

    ResponderExcluir