Pesquisar este blog

sábado, 30 de março de 2013

CORPOS VIBRANTES

Vivemos de emoções
Nossos corpos vibram
Com nossas invenções
Aproveitamos a vida.

Corpos vibrantes
Parecem até elétricos
Somos bons amantes
Formamos ótimo ele.

A vibração do seu corpo
Com respirações ofegante
Acende o meu desejo
E faz-me aconchegante.

Você é brasa viva
Que me aquece por inteiro
Ao passar gostosa brisa
Levanta seus cabelos.

Nossos corpos se aconchegam
Com aquecimento total
Isso muito nos envaidece
E aumenta o nosso astral.


Autor: Antonio Cícero da Silva(Águia)

quarta-feira, 27 de março de 2013

MISÉRIA (Agamenon Troyan)


MISÉRIA

Sobre um manto de papelão
Cai a chuva incessante.
Terra molhada, fome insaciada;
Garganta seca, barriga vazia;
Esperança trancafiada a espera de libertação...
Sob um manto de papelão
Olhos inocentes lacrimenjam-se
Com as gotas de chuva que caem no chão.

(Agamenon Troyan)

domingo, 24 de março de 2013

SOPRO DE VIDA





Na porta do centro cirúrgico
Todos a postos
Médicos e toda a equipe
Aparelhos, equipamentos, instrumentos,
Luvas, mascaras, sutura,
Tudo preparado,
Começados procedimentos
Todos os cuidados
Mãe e bebê esperam
Se verem, se completarem,
Se conhecerem
Os rostos, os cheiros, a temperatura,
Uma vida que ora aflora
Gerada por um ato de amor
Chega o momento tão preciso
Quando o instrumento corta o cordão
E a nova vida, da mãe se separa,
E num momento precisamente mágico,
Deus se faz presente
E num sopro de vida
Sopra vida nos pequenos pulmões,
Que se inflam e devolvem o choro,
Ecoando por todo lugar
Anunciando que ali a vida se faz presente,
Por toda a vida...
E eu estava ali...

Vera Celms
Este trabalho foi inspirado na primeira experiência de uma estagiária de Enfermagem, assistindo a um nascimento, Geicis Reis
Licença Creative Commons
O trabalho SOPRO DE VIDA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

domingo, 17 de março de 2013

AMOR CONSCIENTE

Você é minha princesa
Meu símbolo de beleza
Contigo tenho certeza
De chegar à realeza.

Está no meu coração
Teus olhos lindos são
É a minha outra mão
Não vivo sem você não.

É a mais pura e excelente
Gosto de você, que é presente
É gente da minha gente
E por ti, sou muito carente.


Autor: Antonio Cícero da Silva(Águia) 

PONTES DE MARA MARTINS (homenagem a amiga pelo seu ANIVERSÁRIO... PARABÉNS MARA)





Se alguém um dia te disse:
Que precisa de dinheiro pra ser feliz,
Que precisa de asas para voar
Que precisa ser amado pra poder amar
Mentiram pra você,
Não precisa morrer para conhecer o Paraíso
Não precisa ir a Roma pra ver o Papa
Não precisa justificar o amor
O doce fica na boca bem além do palito do doce
O sol brilha muito além do horizonte
Amigos te amam muito além do alcance dos olhos
As estrelas permanecem no céu mesmo além das nuvens
A força está em ti, mesmo que não precise usar
A beleza está por todo lado, mesmo que não olhe
Os amigos também estão por todo lado, todos...
Mas principalmente dentro do seu coração,
Pois você é um anjo que veio pra Terra,
Pra aprender a ser feliz e ensinar
Pra viver e deixar viver
Para ser feliz e fazer de amigos
Seres humanos felizes
Quem nunca errou,
Que atire a primeira pedra
Quem já aprendeu, como você
Usa as pedras que lhe foram atiradas
Pra construir pontes,
Entre o talvez e o pra sempre,
Continue semeando sorrisos por onde for
Continue distribuindo verdades
Continue estendendo mãos para mãos estendidas
Continue fazendo a sua parte
Pois só tem asas os que gostam de voar,
Feche os olhos e voe por todos os lugares
Amigos,  sempre os terá ... vida afora...
Estarei sempre por perto...
conte comigo!!!

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho PONTES DE MARA MARTINS de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

sábado, 16 de março de 2013

LINGUA

LINGUA by amigos do poeta
LINGUA, a photo by amigos do poeta on Flickr.
LINGUA
Andamos pelo mundo
experimentando a morte
Não interrogues
não perguntes
Escute mais se questione
antes de julgar
Não junte migalhas
lembre-se és o teu
próprio destino
Afiada língua que
faz juras de amor
também fere e mata
Andamos pelo mundo
experimentando a morte
o mal e o que sai da boca
do homem
ANDRE RUIZ

DIGITAIS DA ALMA

DIGITAIS DA ALMA by amigos do poeta
DIGITAIS DA ALMA, a photo by amigos do poeta on Flickr.
DIGITAIS DA ALMA
Íman que nos atrai
alguém te habita
te escuto por dentro
alguém que nunca vem.
Só você
tem os sentidos
que eu preciso
Quero que
imprimas
a tua existência
em mim
ANDRE RUIZ

VELHO SEGREDO

VELHO SEGREDO by amigos do poeta
VELHO SEGREDO, a photo by amigos do poeta on Flickr.

SONHO MEU

SONHO MEU by amigos do poeta
SONHO MEU, a photo by amigos do poeta on Flickr.
SONHO MEU

SONHO MEU
Agora que a noite vem
e inevitável
nao pensar em ti
para poder te sonhar
para ti sonhar!!!!
ANDRE RUIZ

RISO DE OLHAR

RISO DE OLHAR by amigos do poeta
RISO DE OLHAR, a photo by amigos do poeta on Flickr.

E MAIS UM DIA

E MAIS UM DIA by amigos do poeta
E MAIS UM DIA, a photo by amigos do poeta on Flickr.
E MAIS UM DIA
E no reflexo dos teus
olhos a minha alma
encontrou morada
descansa repousa
Te espera
eternamente
afinal por tudo
que vivemos
vale a espera
estou vestida
de sonho
ANDRE RUIZ

MEU NOME

MEU NOME by amigos do poeta
MEU NOME, a photo by amigos do poeta on Flickr.

A SABEDORIA AMAR

A SABEDORIA  AMAR by amigos do poeta
A SABEDORIA AMAR, a photo by amigos do poeta on Flickr.
A SABEDORIA AMAR

A SABEDORIA AMOR
Não há como evitar
assim nos seremos melhores
tenha a fome por caminho
e o saber por alimento
Que tua alma
seja sempre
a tua obra principal
e que tua vida
seja de amor
Deixe que ele
te respire e
te habite o corpo.
A que se saber
sempre mais
sobre o saber
amar!!!!
ANDRE RUIZ

TRINTA E UM TODO DIA

TRINTA E UM TODO DIA by amigos do poeta
TRINTA E UM TODO DIA, a photo by amigos do poeta on Flickr.

SONHOS

SONHOS by amigos do poeta
SONHOS, a photo by amigos do poeta on Flickr.
SONHOS

SONHOS
E ela foi dormir só pra poder sonhar
ele em seus labirinto a lhe profanar
trazendo poesias de lhe encantar
adormeceu em seus sonhos
onde ele então foi morar
ANDRE RUIZ

SANGRANDO

SANGRANDO by amigos do poeta
SANGRANDO, a photo by amigos do poeta on Flickr.

AMOR SIMPLES

AMOR SIMPLES by amigos do poeta
AMOR SIMPLES, a photo by amigos do poeta on Flickr.

COISA DO DESTINO

COISA DO DESTINO by amigos do poeta
COISA DO DESTINO, a photo by amigos do poeta on Flickr.
COISA
DO DESTINO
Foi um beijar devagar
daqueles de sair do chão
Intimo e primeiro beijo
revelador ………
Muitos beijos
vieram depois….
Já nos conhecíamos
de outras vidas!!!!!
ANDRE RUIZ

terça-feira, 12 de março de 2013

UM INSTANTE

UM INSTANTE by amigos do poeta
UM INSTANTE, a photo by amigos do poeta on Flickr.
UM INSTANTE
Um instante de dois
foi o suficiente
para nao querer
mais ninguém depois
de ti
Não quero outro corpo
outro incêndio
que nao seja
o da memória
do seu corpo
Sem convenções
partilhamos olhares
e poros
pele e cheiros
sorrisos...
gargalhamos na
cumplicidade
dos desejos
Olhando estrelas
te coloquei
no meu colo
de dormir
ANDRE RUIZ

DEUS EM MIM

DEUS EM MIM by amigos do poeta
DEUS EM MIM, a photo by amigos do poeta on Flickr.
DEUS EM MIM
Em meu diário
de ausências
tem um pouco
do que sobrou de ti
e o resto todo dentro aqui
um punhado de estrelas
Sempre amanheces
como um Deus em mim
de mãos dadas
ANDRE RUIZ

ECOAS

ECOAS by amigos do poeta
ECOAS, a photo by amigos do poeta on Flickr.
ECOAS
Eco de memória
tua voz
murmúrio de amor
ANDRE RUIZ

domingo, 10 de março de 2013

MENINOS TAMBÉM MORREM (homenagem ao CHORÃO)

Arte do querido ANDRÉ RUIZ... Obrigado André.... mil beijokas...


Partidas inesperadas
Atitudes desesperadas
Solitárias e tristes
Meninos também morrem
Viajam em seus skates,
Desta morada, de volta pra Casa,
Momentos em que não há plateia
Em que não há ninguém
Só o menino só,
Figuras de linguagem única,
Unicamente sua,
Poesia pura aspirada profundamente
E em rodopio,
O corpo em lépido arrepio
A lancinante alucinante dor
Num repente e tudo se apaga definitivamente
Ora aqui, ora não mais,
E o corpo inerte
Faz erguer uma Nação...
O menino de rua,
Crescido tão só,
Trafega livre emoção,
Em letras e cifras
Agora, todos choram tua falta,
...  CHORÃO!!!

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho MENINOS TAMBÉM MORREM (homenagem ao CHORÃO) de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.