Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

DO JEITO QUE SOU

DO JEITO QUE SOU by amigos do poeta
DO JEITO QUE SOU, a photo by amigos do poeta on Flickr.

VELHA CANÇÃO

VELHA CANÇÃO by amigos do poeta
VELHA CANÇÃO, a photo by amigos do poeta on Flickr.
VELHA
CANÇAO
Acumulo vazios
nessa distancia
Em um tempo
sem nome
Entre as pausas de
um acontecimento
ou outro
Em meio o esquecimento
e sombras habito aqui
nesse canto de saudades
e na vitrola o som
de uma velha canção
ANDRE RUIZ

domingo, 27 de janeiro de 2013

CONVITE A SEDUÇÃO



Vamos sonhar?
Convite sutil, delicado, sugestivo,
Feche os olhos,
Deixe a mente solta,
Viaje comigo,
Ao mundo desconhecido,
Sonhos, desejo, prazer,
Mesa posta,
Sabores excêntricos,
Fogo na luz das velas,
Pétalas de rosas por todos os lados,
Incenso,
Vinho, gelo,
Vendo teus olhos,
Te faço provar,
Alternando com o gelo,
Minha língua nos seus lábios,
Súbito,
De todos os sabores,
De varias sensações,
O gelo lhe percorre o corpo,
Minha língua lhe percorre o corpo,
Detendo-se estrategicamente,
As pétalas lhe cobrem,
Contato suave, leve, perfumado,
Uvas, morangos, ameixas,
Queijos, ostras,
Chocolate, champanhe,
Minha mão percorrendo seu corpo,
Incessante,
Insistente,
Meu corpo a tocar seu corpo,
Suave e umidamente,
Minha boca na sua boca,
Desvendo seus olhos
Para que vejam os meus,
Te fitando sofregamente,
Pelo vão de suas pernas

Vera Celms
Licença Creative Commons
A obra CONVITE A SEDUÇÃO de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

AMARGURAS

AMARGURAS by amigos do poeta
AMARGURAS, a photo by amigos do poeta on Flickr.
AMARGURAS
Era uma dor
invertida
Em meus vazios
acrescidos de silêncios
oco de mim a me consumir
do tanto que ficou
daquilo que já não há
Um poema uma canção
uma suplica oração
vazo-me pelos poros .
Nado no raso
amargo do céu da boca,
mais ainda trago brilho
em minhas mãos
Era uma dor
invertida!!!!!
ANDRE RUIZ

SIMPLESMENTE ACONTECEU

SIMPLISMENTE ACONTECEU by amigos do poeta
SIMPLISMENTE ACONTECEU, a photo by amigos do poeta on Flickr.

ME DEVORAM

ME DEVORAM by amigos do poeta
ME DEVORAM, a photo by amigos do poeta on Flickr.

domingo, 20 de janeiro de 2013

ALIENETE



Nova criatura sobre a Terra.
Menina com ares de monstro
Formas não convencionais
Não feias, não bonitas,
Somente não convencionais
Beleza deformada por mágoas
Expressão endurecida por sofrimentos
Ou por tê-los suportado por tempo demais
Menina com características de menina
Com todos os gostos preservados
Com detalhes que somente por adolescentes são ´exigidos´
Um ´gordo´ chiclete indisfarçável, mastigado impiedosamente
Fones de ouvido, mp5, celular conectado a rede
Cintura baixa, top, botas de grossos solados,
Cabelos irregulares,
Maquiagem quase transformista
Não. Deformada, deformante,
Como é possível somente aos adolescentes,
Aparatos todos.
Musicas, aquelas...
Menina com ares de monstro,
Na ponta de sua cauda,
um brilhante em formato de piercing.

Vera Celms
 Licença Creative Commons
A obra ALIENETE de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

sábado, 19 de janeiro de 2013

THE END

THE END by amigos do poeta
THE END, a photo by amigos do poeta on Flickr.
THE END
E Depois de tantos
rascunhos manuscritos
A vida me trouxe você
para te escrever em mim
poema poesia
passando a limpo
tatuagem que
não se apaga
definitivo amor
ANDRE RUIZ

ROTAS ANTIGAS

ROTAS ANTIGAS by amigos do poeta
ROTAS ANTIGAS, a photo by amigos do poeta on Flickr.
ROTAS ANTIGAS
Rota do sal,
sobre pele
o gosto
do teu suor
E em meus olhos
antigas ternuras
de nos dois
ANDRE RUIZ

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

CONVITE

CONVITE by amigos do poeta
CONVITE, a photo by amigos do poeta on Flickr.

DEPOIS DA CHUVA

DEPOIS DA CHUVA by amigos do poeta
DEPOIS DA CHUVA, a photo by amigos do poeta on Flickr.

O TEU CAMINHO É O MEU CAMINHO

Tô Pensando em Ler: Resenha: Brigit - A Bruxa da Noite

Tô Pensando em Ler: Resenha: Brigit - A Bruxa da Noite

ORBITAS

ORBITAS by amigos do poeta
ORBITAS, a photo by amigos do poeta on Flickr.
ÓRBITAS
A lua rodando
entre as estrelas
Deuses do Olimpo
e quando dei por mim
éramos nos
corpo a corpo
órbitas de amor
ANDRE RUIZ

domingo, 13 de janeiro de 2013

TRAVESSEIRO INSONE






O medo das alturas
Vertigens,
Perdas rápidas de visão,
De consciência,
Brancos imediatos,
Repentinos e instantâneos
Sufoco, desassossego,
Sofreguidão,
Sonhos apavorantes,
Despertares assustadores,
Suores intensos,
Pavor, pânico,
Medo da escuridão,
Alucinações,
Visões horripilantes,
E o cheiro de sangue
Permanente nas narinas,
Como se o mundo sangrasse,
Permanentemente,
Constantemente,
Gritos ecoando na madrugada,
Uivos, miados monstruosos,
Latidos nervosos, raivosos,
Sombras,
Barulhos tão surdos,
Inexplicáveis,
Passos, seguidores na devastidão,
Nada explica melhor
A loucura de um suicida em potencial,
em morrer,
A esquizofrenia,
O medo incontrolável
Do que foge da morte,
Todos os dias,
A cada noite,
A cada sussurro da imaginação,
Perseguido pela culpa,
Muda, cega, do seu travesseiro insone...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho TRAVESSEIRO INSONE de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

sábado, 12 de janeiro de 2013

GESTOS

GESTOS by amigos do poeta
GESTOS, a photo by amigos do poeta on Flickr.
GESTOS
Todos os gestos
do meu corpo
Os meus sons
não se calam
dizem sempre
que te amo
Toco-me e balbucio
teu nome baixinho
e me escuto te chamar
Hálito quente
cheiro de rosas
todos os gestos!!!
ANDRE RUIZ

TEMPESTADE

TEMPESTADE by amigos do poeta
TEMPESTADE, a photo by amigos do poeta on Flickr.
TEMPESTADE
Uma noite no verão
a voz de um homem
um eco um trovão
Voz de uma mulher
um clarão.
Presos para sempre
verdadeiro amor
disfarçados
de relâmpagos
ANDRE RUIZ

contornando

contornando by amigos do poeta
contornando, a photo by amigos do poeta on Flickr.
CONTORNANDO
Nenhum de nós
passeia impune
nunca vagamos
a toa
Contornando destinos,
nem me lembro.
Nos dois já éramos
amor antes de ser.
Nenhum de nós
passeia impune
tocata e fuga!!!
ANDRE RUIZ

NADA EXIJO

NADA EXIJO by amigos do poeta
NADA EXIJO, a photo by amigos do poeta on Flickr.
NADA EXIJO
A cada gota
do meu suor
dou-me sem
restrições.
O teu néctar
meus gemidos
nada exijo….
me entrego
ao amor.
ANDRE RUIZ

FESTA

FESTA by amigos do poeta
FESTA, a photo by amigos do poeta on Flickr.
FESTA
Tenho frestas
algumas arestas
entras-me por
todos os lados
logo me invades
a festa….
Noites escuras
e essa tua
claridade
ANDRE RUIZ

ESQUECIMENTO

ESQUECIMENTO by amigos do poeta
ESQUECIMENTO, a photo by amigos do poeta on Flickr.
ESQUECIMENTO
Palavras em mim
viram poemas
mordendo a solidão
Corpo teu que me levou
ao esquecimento
de outros corpos
ANDRE RUIZ

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

oratório de estrelas


poemas embalam ausências
com olhos ressequidos
vigiam o vazio

enganam-se diante do nada
vultos em vigília descrente

até a lua se espanta
da porta retrocede
e se compadece

acende estrelas
como velas

caem as horas
como preces



Karinne Santiago



Foto: Anka  Zhuravleva

domingo, 6 de janeiro de 2013

VINGATIVA (arte de Maria Iraci Leal-MIL)



Inconformada
Sorte sua,
tão diferente da minha
O açoite da oportunidade
esfolando-me a quietude
Preciso lavrar ameaçada honra
Perspicácia conversa com perspicácia
Esperteza dialoga com esperteza
Oportunidade troca com oportunidade
Calo-me inconformada
Estarrecida levanto-me
A cada ação, reação,
Se nadas, não boio,
Mister afundar-te,
Esfolar-te, alvejar-te, ludibriar-te,
O sangue, que arrancou de mim,  
turva-me a visão
Incomoda-me o gesto
Impede-me o passo
Amarro-te, encarcero-te, ancoro-te
Espeto-te,
Antes de partir, encaro-te,
quero ver-te inerte,
Quero troco da minha paga,
Quero volta, vingança,
Não haverá nenhum passo teu
Sem que se lembre de mim
Vingada, triunfante, realizada, gloriosa,
E...
... até nunca mais!!!


Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho VINGATIVA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.