Pesquisar este blog

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

CHUVA FINA... POEMAS MIL.


CHUVA FINA... 

É chuva gostosa e mansa que escorrega 
Se solta das nuvens devagar e apenas roça 
Pinga com sutileza e vai formando as poças 
Entregando com carinho sua seiva á natureza! 

Chuva que entre pingos e respingos deliciosos 
 Parece dizer dum amante que segura o seu “auge” 
Que em golfadas espaçadas espera por sua fêmea 
Juntos chegarem ao clímax, juntos no orgasmo! 

É chuva fina que chega, vai entrando nos recantos 
Lavando a terra, fertilizando e inundando as cavernas 
Deixando no ar cheiro de amor, um cheiro de mato! 

São águas calmas e sorrateiras que sem alvoroço 
Escorrem pelas vias e calçadas, lambem as vidraças 
Inspiram muitos amores e suores nas alcovas! 

Maria Iraci Leal/ MIL 
POA/RS/Brasil 26/11/2012 
Obra protegida

5 comentários:

  1. Seu poema com uma chuva delicada.
    Lá fora um temporal, um verdadeiro dilúvio. rsrsrs
    Amei seu poema.
    Parabéns!!
    Se possível tire as letrinhas chatas do comentário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Janice,boa semana p/ti, grande beijo MIL.

      Excluir
  2. Belíssimo poema MANINHA MIL... essa chuva fina, que invade as reentrâncias, os vãos, todos os espaços... hmmm muito bom... beijos de VC, volte devagar mas com a ousadia tão sua... beijos de VC

    ResponderExcluir
  3. Querida Janice Adja, as letrinhas tão chatas, concordo contigo, nos ajudam a evitar spans ou pishings. As vezes aparecem comentários, gerados por robôs, ou sistema e disparam vários e seguidamente. Infelizmente, você verá isso na maioria dos sites abertos a comentários. Sinto muito... Não estava entendendo que eram essas letrinhas de autenticação. Beijos de VC

    ResponderExcluir
  4. Obrigado maninha Vera, que tenhas uma ótima semana, mil bjs da hermana Miloka...

    ResponderExcluir