Pesquisar este blog

domingo, 11 de novembro de 2012

BUSCO-TE... POEMAS MIL.

BUSCO-TE...

Libidinosa e arfante
Ao calor de nossa alcova
Num vai e vem incessante
Sorver tua língua
Tomar tua boca
Aconchegar-me
Ás tuas curvas e protuberâncias
Embrenhar-me
Nos becos do pecado
Acarinhar todo teu corpo
Com beijos suaves e demorados
E por fim já cansados
Deixar os odores e suores
O perfume da cópula
Aos lençóis molhados!

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
20/05/2011
Obra protegida

Um comentário:

  1. Ainda bem que os lençóis não falam, não contam tudo o que testemunham... são vigilantes, observadores quietos, mansos e acolhedores... ah!!! o amor... lindíssimo poema, sensualíssimo... beijos de VC, MANINHA MIL

    ResponderExcluir