Pesquisar este blog

domingo, 26 de agosto de 2012


O CLAMOR DO VOTO

MOR

O voto vive desconsolado

Com esta tal de obrigação.

Do eleitor desiludido

Pede ao voto libertação.




Eleição não é ditadura

Numa democracia livre.

Retire logo esta atadura


Que da obrigação me livre.



Voto é uma defesa

Daquele pobre eleitor.

Que não seja ele a presa

Do candidado invasor.



Desobrigue este pobre povo

Desta louca tirania.

De liberdade de novo

Que tanto ele humilha.



Que eu não seja fruto

Nem do poder do dinheiro.

Mas que o cidadão use

Para se sentir faceiro.



São José/SC, 25 de agosto de 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário