Pesquisar este blog

sábado, 11 de agosto de 2012

ME DEIXE... POEMA MIL.


ME DEIXE...

Me deixe ficar aqui, de frente para o mar
Me perder no infinito, seguir aquele rastro de luz
Observar como se move, livre no espaço
Neste momento é tudo que preciso
Ficar um pouco mais neste lugar
Ainda não posso seguir em frente
Tenho que ajoelhar-me aos pés de Deus
Minha lágrima pela face derramar
Pois eu tive um Norte, tive a minha estrela
Uma dose maciça de amor todos os dias
Não posso retomar o meu rumo ainda
Ou ir em busca de novos caminhos
Neste momento, nada pode aplacar o meu luto
Palavra ou filosofia afagar o meu sentimento
Não tente entender-me ou aplacar minha agonia
Porque neste momento eu só preciso de abraço
Deixe-me ficar aqui sozinha de frente para o mar
Reverenciar os meus heróis e meus mortos prantear
Ouvir a melodia celestial dedicar-lhes a Ave Maria
Só por hoje, alguns dias e sei lá até aceitar
Do meu jeito que a vida é um eterno vai e vem
Que as ondas sempre morrem na praia
Que tudo tem fim, toda natureza se termina
A beleza não é eterna, tem um tempo tão curto!

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
11/08/2012
Creative Commons License
Obra protegida

3 comentários:

  1. OLÁ QUERIDA.
    AMEI ESTE BOTECO.
    PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  2. OI QUERIDA CLÉO, OBRIGADO PELA TUA PRESENÇA, GRANDE BEIJO MIL.

    ResponderExcluir
  3. Amada MANINHA MIL... sei bem do que falas... o tempo que precisamos para absorver o turbilhão de emoções que acontecem dentro de nós em momentos tão intensos, tão dificeis...
    Pessoas que quando saem de cena, deixam o palco quase invisivel por algum tempo... oremos, vibremos e voltemos em cena... Força minha amiga, força... estou contigo sempre... e nossa Estrela também... beijos de VC...

    ResponderExcluir