Pesquisar este blog

quinta-feira, 3 de maio de 2012

A VIAGEM


Poesia sem ”o”
MOR

Um viajante
A escutar
Ventania uivante.

A delirar
Da tempestade
Tenta escapar.

Naquele casebre
Na velha estrada
Amenizar sua febre.

Espera passar
Lareira e trempe
Jaqueta secar.

São José/SC, 02 de maio de 2.012.

Um comentário:

  1. Querido Mario... adorei teu poema sem a letra O... ficou genial... já fiz também um poema sem cada uma das vogais... amei... Viajante que faz parte de nós... beijos de VC

    ResponderExcluir