Pesquisar este blog

terça-feira, 15 de maio de 2012

PENSO NA QUIMERA... POEMA MIL.


Penso na quimera... 


Não adormeço, penso 
Há orvalho na madrugada 
É noite fria de outono 
Sem estrelas e sem lua 
Deve chover... Não tenho sono 
Certa nostalgia me entranha 
Gritos cá e lá ecoam 
Estranhos e humanos 
Da solidão das ruas 
São cães e mendigos 
Abandonados 
Mesmo assim 
A vida continua 
E da casa ao lado 
O perfume dos jasmins 
Invade a janela 
Á fazer companhia 
Não adormeço, penso 
Talvez algum dia 
Haja alforria 
Haja cuidados 
E quimera! 


Maria Iraci Leal/MIL 
POA/RS/Brasil 
16/05/2012 
Obra Licenciada

2 comentários:

  1. Noites de insônia, de solitude, de "desarquivamento" de pensamentos, acontecimentos e sensações... fundo musical tão único e real... noite de frio, nem a lua saiu da cama... que venha a quimera... beijos de VC, MANINHA MIL...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado maninha Vera, estou me recuperando aos poucos, mas recém começou, rsrsrsrsrs, grande beijo da irfã MIL.

    ResponderExcluir