Pesquisar este blog

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Minha saudade... Poema MIL.


















Minha saudade... 


E por falar da minha saudade 
É como falar de uma tempestade 
Do vento Minuano gélido e cortante 
Que como frio punhal me abre o peito 
Faz sangrar e chover torrencialmente 
Arrasando e trazendo as lembranças 
Que há muito tempo escondidas 
Vivem chorando a nossa despedida 
Eu queria ver-te apenas um instante 
Para dizer que não tive escolha 
E que parti te amando 
Era eu ou você, duas almas tão diferentes 
Não havia um caminho do meio 
Com o passar dos anos 
Meu coração encharcado viveu 
De saudade sempre sangrando 
Agora já velhos quem sabe 
Darmos-nos um último abraço 
Pedir perdão e fazer um pacto 
Após morrer nos reencontrarmos 
Em qualquer lugar do firmamento 
Onde nada haja que nos impeça 
De ser feliz e ao nosso amor de reviver! 


Maria Iraci Leal/MIL 
POA/RS/Brasil 
03/05/2012 
Obra Licenciada

Um comentário:

  1. MANINHA MIL, tive um dia, durante um contato com alguem que incorporou, que se dizia amor meu de outras vidas, e naquele intenso momento, nos prometemos que nos encontraríamos assim que eu desencarnar... não sei se acontecerá... mas há uma pessoa nesta encarnação com quem gostaria de conversar na "eternidade"... são encontros que não sabemos se teremos ou não... mas, fica na intenção... amei teus versos todos... beijos de VC...

    ResponderExcluir