Pesquisar este blog

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Minha mãe... Poema MIL.


Minha mãe... 


Á portas do inverno 
Pelos meados de junho 
A simples, mas notável mulher 
Depois de viver, criar sete filhos 
Deixa sua marca na Terra 
Faz quase 30 anos... 
Não sei dizer 
se mais corajosa que amorosa 
As duas coisas se mesclaram 
Cruzando montanhas de dificuldades 
Do impossível fez nascer o milagre 
Descalça por entre cascalhos ferventes 
Mesmo ferida, seguia em frente 
Sofreu, ultrapassou e vibrou 
Era pura alegria, com tudo o que passou 
Na sua despedida disse ainda: 
Feche a janela, a luz me ofuscou 
O sol está muito forte, 
mas deixe uma fresta 
Deixe entrar o perfume das rosas 
Era junho, tarde da noite, 
ás portas do inverno 
Não havia sol algum, nenhum jardim 
Partiu na luz abençoada e assim 
Perfumada... Pelas rosas que tanto amava! 
Uma luz me pisca do céu, é ela 
Me dizendo: 
Segue firme, toca em frente 
A vida não é um paraíso 
Mas é linda de ser vivida! 


Maria Iraci Leal/MIL 
POA/RS/Brasil
06/05/2012
Obra licenciada

Um comentário:

  1. Belo poema MANINHA MIL.... bela homenagem a tua linda mãezinha que já tem conquistado seu lugar brilhante do céu...
    ..."A vida não é um paraíso
    Mas é linda de ser vivida! "
    E quanto a isso, não fica nenhuma dúvida... mesmo... amei teus versos tenros,densos e emocionados... beijos da tua IRFÃ VC

    ResponderExcluir