Pesquisar este blog

quinta-feira, 3 de maio de 2012

COZIA-ME


COZIA-ME
Antes das palavras

acontecerem 

teus sinais de fogo e leite 

repuseram em mim  

a força maternal,  

e tudo circulava  

em teu olhar de amor. 

Gestos mais lentos que a brisa 

aninharam-se em meu sangue 

e o barro de que sou feito  

cozia-me por dentro.

Eu já não via, 

nem enxergava  

algo me possuía  

estava em chamas. 

Sim eu já te amava 

ai onde vivo agora 

nesse meu  

eternamente você 

ANDRE RUIZ


Um comentário:

  1. Doce sofrida trajetória de um amor que nasceu de uma imagem e evoluiu ao mais profundo... nasceu na pele e chegou ao coração... lindo poema ANDRÉ, beijos de VC

    ResponderExcluir