Pesquisar este blog

quinta-feira, 8 de março de 2012

Papai do Céu


Quando eu era bem pequeno,
Minha mãe sempre dizia,
Que lá no céu existia,
Um tal senhor Nazareno.

Quando o céu nublava,
E trovões e raios surgiam
Ela sempre me enganava,
Quando os pingos caíam,
Parece que o pai do céu chorava.

Quando o céu forte gritava,
O Senhor estava tão zangado
Que de pesar não se agüentava,
Por todos os nossos pecados.

Eu inocente acreditava,
Que nosso pai sempre nos olhava,
Que protegia e cuidava,
Que por nós, zelava e amava.

Mas comecei a questionar,
Quando eu me punha a orar,
Se ele era de repente surdo,
Ou se me ouvia e ficava mudo.

Depois pensei que eu não era digno,
De entender o tais desígnios,
De sua grande sabedoria e grandeza,
Por só trazer em minha vida, tristeza.

Quando eu era bem pequeno,
Minha mãe dizia,
Pra eu sempre agradecer...

Então eu de joelhos caio,
Oh meu grande pai do céu,
Senhor da complacência e do amor,

Agradeço a ti somente o que tenho,
Obrigado por toda essa DOR,
Obrigado pelo seu desdenho,

Oh meu grande pai do céu,
Obrigado por fazer da minha vida,
a ser sempre julgado por ti,

No seu banco um eterno Réu.
Obrigado por fazer a minha vida,
Ter um prazeroso gosto de féu.


Hugo Roberto Bher
#O Poeta do Escuro

Um comentário:

  1. Querido HUGO, minha mãe também falava coisas desse tipo, e acho que eu também falei para meus filhos... afinal, aos pequenos sempre mostramos o lado bom, para que o outro lado se apresente sozinho... as coisas vem, acontecem, devassam as epseranças, fazem-se ignorar os pedidos...
    Hugo, entendi, depois que cresci, que DEUS está dentro de nós... é uma grande energia que vem de dentro de nós... então entendi, que ele não vive lá no céu...mas aqui dentro do nosso peito... mantenha sempre os pensamentos positivos, isso ajuda a DEUS ficar feliz... continuará chovendo, trovejando, fazendo sol, nublando, e isso, a física explicará... beijos de VC

    ResponderExcluir