Pesquisar este blog

sábado, 31 de março de 2012

LÁBIOS QUE FASCINAM



teus lábios carnudos,
sensuais,
insinuaram subitamente
tocar os meus.
estavam demasiado próximos
para que eu pudesse
fugir do inevitável beijo.

teus lábios carnudos,
[inseguro?]
entre jovens e maduros,
sopravam sobre mim
a frescura dos jardins
e brincavam de sorver
da minha pele
um banquete de delícias.

suas mãos indomáveis
[e gentis]
não sabiam parar quietas,
ou se sabiam, não queriam!
e, indefesa e deslumbrada,
eu vi esses dedos hipnóticos,
[irresistíveis]
caminharem sobre mim
como quem descobre
um mundo novo.

rendida ao teu fascínio
e tu ao meu,
deixei-me ir,
para lá
de todos os horizontes.
bebi de ti
e tu de mim
o sagrado néctar dos deuses.

e num altar de estrelas
fizemos nosso leito
onde, por fim,
em total aceitação,
nos rendemos
ao apelo do corpo
da pele,
do sangue,
do coração vibrante,
da alma inatingível!

[pura explosão
de mundos!
tantos,
todos]

e quando o dia chegou,
descobriu-nos,
almas entrelaçadas
[amantes]
por fim libertas
das distancias
e fronteiras.


[MENDONÇA, Silvia]
[30/05/2011]
[Foto: Web]

2 comentários:

  1. e quando o dia chegou,
    descobriu-nos,
    almas entrelaçadas
    [amantes]
    por fim libertas
    das distancias
    e fronteiras.

    Magnífico poema! Silvinha, te felicito, bjs da MIL.

    ResponderExcluir
  2. Silvinha, que delicia tudo isso!!!

    "deixei-me ir,
    para lá
    de todos os horizontes.
    bebi de ti
    e tu de mim
    o sagrado néctar dos deuses."

    Apesar que eu diria que esse seria o sagrado néctar humano...

    beijos de VC

    ResponderExcluir