Pesquisar este blog

quarta-feira, 21 de março de 2012

Aquele que Assombra

Quando a luz se apaga,
és tu a minha presa.
Começo minha saga,
vejo-te com clareza.

Sou fantasma que vaga
no frio da escuridão...
Eu cobro a justa paga
por tua oculta podridão.

Sou a dor que te esmaga,
e te aperta o coração.
Espetarei com minha adaga
quem ousar dar-te a mão.

Não ha como escapar,
Sou a culpa que atormenta.
Se tentares barganhar
Tua punição aumenta.

Conheço tua maldade,
no espelho estarei,
refletindo a verdade,
teus crimes acusarei.

Sou a angustia que pesa,
sou o motivo da tua reza...
Sou fogo que te queima...
Sou a besta do inferno,
Que tu mesmo criaste.

Se quiseres saber,
a graça do teu carrasco,
cá entre os homens
meu nome é REMORSO



Hugo Roberto Bher
#O Poeta do Escuro

Um comentário:

  1. Duro esse sentimento!!! como a culpa, corroe, machuca, mata... é um peso que esmaga... é mesmo um fantasma agorento, vingativo, perseguidor... não dá paz a quem o cria... é cruel e impassível... Deus nos livre a todos... beIJOS DE VC, querido HUGO...

    ResponderExcluir