Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

DE CHOCOLATE HOLANDÊS


DE CHOCOLATE HOLANDÊS

Escultura viva
Que derrete ao toque da mão
Teme o calor do verão
Não se mete a alta tensão
E desintegra no meu tesão
Entontecida, de ti me entorpeço
Endorfinas soltas na corrente sanguinea
Faz-me elevar a pressão
Olho-te, desejo-te, enlouqueço-te
Desço por ti a língua rija
Sorvendo teu doce
Com a boca borrada
Vejo-te suplicar meu toque
Sem resistência e com cuidado
Guio-te em riste entre as mãos
Pressionando-o com os dedos
Introduzindo sussurros bem próximos
Escapados da língua que intrometida investe
Sem pudores, sem vergonha,
Sem parar,
Como quem quer entrar
E assim te vejo derreter
Na minha língua, entre minhas mãos
Escultura minha de você,
de chocolate holandês.
Cercado de morangos desta vez

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho DE CHOCOLATE HOLANDÊS de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

2 comentários:

  1. Maninha Vera, que maravilha de poema, salve o chocolate,mil bjs da irfãaaaa MIL.

    ResponderExcluir
  2. MANINHA MIL... chocolate já é muito bom, né? e nesse formato? hahaha... obrigado pelo carinho... BEIJOS DA IRFÃ VC

    ResponderExcluir