Pesquisar este blog

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

UM SEGREDO DE WHITNEY HOUSTON

Pequenos olhos brilhantes
Perdidos no horizonte
Procurando o amanhã
Quem virá...
Por que se foi?
Na fresta da porta entreaberta,
Não se podia ver mais
Estavam os pequenos olhos, já cerrados
Contando, que a voz
ultimamente rouca, emudecera
O rouxinol não mais cantará !
A água invadiu o pulmão
Os pés já não estavam no chão
O pensamento talvez voasse
Talvez nem mais voltasse
Perdas, solidão, perda da razão
Como conviver com o humano,
quando já se conheceu divindade?
No peito um coração batia,
Na alma vibrava uma lira
Mortalmente talvez não alcancemos
O quanto seja difícil ir e ter voltar do Olimpo,
Eis um segredo que partiu com Whitney Houston...


Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho UM SEGREDO DE WHITNEY HOUSTON de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

2 comentários:

  1. Mana Vera, me emocionei demais com teu poema! Senti cada verso e sinto o mesmo em relação a nossa Diva, deve ter sido muito difícil viver aqui, tamanha a sua sensibilidade, Deus a recolha amorosamente, obrigado maninha por esta maravilhosa homenagem para ela, bjs irfã MIL.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado MANINHA MIL, acho que esta morte emocionou ao mundo todo. Era um talento, uma beleza feminina, que não podíamos imaginar um grito tão contundente. Beijos de VC

    ResponderExcluir