Pesquisar este blog

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Refém do sentimento


    Refém do sentimento

Eu jurava ser uma pessoa normal até descobrir dentro de mim, um sentimento desnatural, louco, disposto a qualquer ato para conseguir atingir o êxtase de um desejo. Senti medo de mim, não imaginei que houvesse tanta ousadia, e nesse momento tentei calar esse forte sentimento, porém percebi ser mais forte que eu, talvez fosse apenas desejo, lutei para enganar-me, era muito mais que desejo... Ah!Meu Deus... Era também pura insensatez algo que não deveria ter surgido e que dói só em pensar em reprimir, mas é preciso.

Perdi noites de sono, pedindo a meu coração que esquecesse que se acalmasse e passasse por alto essa situação, porém ele gritava tão alto essa possibilidade que tive medo que alguém ouvisse os seus gemidos, seus pedidos, a sua agonia!

Assustada comigo, com meus sentimentos, tentei sufocar o grito, tentei conter as lágrimas que persistem em rolar em meu rosto. Disfarço, invento um problema qualquer, para não dizer a verdade, para não dizer o real motivo de tamanha angústia. Por que segurar um sentimento? Talvez porque esse sentimento seja uma espada afiada, capaz de ferir pessoas que não merecem este duro golpe. Insisto comigo que é melhor enterrar esse forte sentimento,porém não consigo,é muito mais forte que eu, e logo eu que sempre me achei à dona da situação, hoje me tornei refém do próprio sentimento.

LADY VAL

Um comentário:

  1. Querida VAL... é muito triste quando enfrentamos situações tão ameaçadoras. As vezes as coisas saem do controle. O que parecia algo passageiro, sem maiores consequências, toma o primeiro plano inesperadamente. Aí é colocar na balança e saber para que lado pende. Mas, se houve espaço para um segundo amor, o primeiro já não estava mais tão inteiro...
    Adorei sua prosa poética. Dá-lhe LADY VAL!!! beijos de VC

    ResponderExcluir