Pesquisar este blog

domingo, 19 de fevereiro de 2012

A paz da noite! Poema MIL.


A paz da noite! 


Solitária, eu viajante noturna 
Que ás portas da noite insone 
Busca na claridade da lua 
Luz para os enegrecidos sonhos 
Sonhos meus esquecidos de todo 
Solitária, eu navegante soturna 
Deflorada em sua ingenuidade 
Evoca a paz da madrugada 
Dos silêncios a quietude 
Libertar-se das vozes que urram 
E incautas matam toda doçura 
Convertida em peregrina 
Sou a viajante noturna 
Buscadora da noite para ser livre 
Caminhar bem próxima da lua 
Sentir a paz que me urge 
Banhar-me no seu feitiço 
Que tudo encanta e ilumina! 


Maria Iraci Leal/MIL 
POA/RS/Brasil
09/02/2012
Direitos Reservados

4 comentários:

  1. É uma paixão que patilho... a noite, a madrugada. Cheia de personalidade, perfumes, sons, características tão proprias... belo poema... beijos da IRFÃ VC

    ResponderExcluir
  2. Maria já somos três,adoro a noite e seu silencio especial,adorei este teu poema,um encanto mesmo e a noite faz marca em nós sim...parabens é lindo.....gosto,gosto...bjs dcs

    ResponderExcluir
  3. Obrigado minhas queridas, maninha Vera, Sara, pedaço de minh1alma de além mar, maravilhosa poeta Stela, grande beijo p/ vcs MIL.

    ResponderExcluir