Pesquisar este blog

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

FABRICA DE PALAVRAS




MOR

É a fabrica da poesia
Que se revela no amor.
Nem é mera fantasia
Com a força do calor.

Alguém logo extasia
Do que o verso revela.
A escutar com alegria
Ao abrir a janela.

Uma fabrica de palavras
Nos mais belos versos.
Em belas e lidimas lavras
Com todos os reversos.

Das palavras as magias
Todo dia a vercejar.
Buteco das alegrias
Um trago logo tomar.

São José/SC, 2 de fevereiro de 2.012.

2 comentários:

  1. Mario querido,

    Acho que essa fábrica a que você se refere é na verdade uma fonte natural, um nascedouro de palavras, de expressões, de forças.
    Sempre há quem se extasia com as plavras. Eu sou or elas, completamente apaixonadas e sinto um prazer apaixonado quando os versos me escolhem e se apresentam lindos.
    Buteco das alegrias... um trago logo tomar...
    Aqui permitimo-nos a bebedeira (de poesia, de palavras). Aqui, até os excessos são bem vindo... AMEI... muito gostoso... beijos de VC

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso, fábrica de palavras bordadas de sentimentos, retoques dourados de talento, parabéns, bjs MIL.

    ResponderExcluir