Pesquisar este blog

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Eterna ausência! Poema MIL.


Eterna ausência!
Eterna a ausência que descansa
Nas areias da nossa praia
O sol se perde ao fim da tarde
A noite amiga chega de mansinho
Possa eu ficar um pouco mais
Recordar a tua imagem
Desenhando minha saudade
Nestas areias tão nossas
Embarco nos pensamentos
E lá estás para todo o sempre
No coração o lamento
O vazio sem a tua presença
Sinto teu palpitar na lembrança
A felicidade daqueles momentos
Dos nossos corpos sudorados
Brincando entre as ondas quentes
Escrevo teu nome para sempre
Nas areias de nossas praias
Na esperança e a confiança
De que um dia vais voltar
Ou nos encontraremos
Em algum outro lugar
Desenho tua figura
E escrevo o teu nome
Quiçá possas ouvir-me
E onde estejas quiçá
Esqueças-me jamais!
Maria Iraci Leal/MIL
03/02/2012
POA/RS/Brasil
Creative Commons License

2 comentários:

  1. Um brado de saudade, esperança no reencontro, na fusão das energias do amor... de novo... que lindo MANINHA MIL!!! amei... beijos de VC

    ResponderExcluir