Pesquisar este blog

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

BORDADOS E JUIZO FINAL

BORDADOS

BORDADOS
Lábios de névoa
com o olhar
bordas um
movimento
no espaço
Costura-me
em carne viva
alinhavando
nossos corpos
nossos sentimentos
Bordando vidas
fazendo amor
Acordas nos espaços
do meu amanhecer
ANDRE RUIZ



JUIZO FINAL

JUÍZO FINAL

Ofereço-te a boca
era para ser so um beijo.
Ávidos e intensos
nossos momentos 
ao luar
noite adentro 

a flor da pele.
Intensamente fluindo
na mansidão, imensidão
de nos dois
ate o juízo final.

ANDRE RUIZ

Um comentário:

  1. André, teus BORDADOS são de um lirismo ímpar... costumo destacar algum verso, mas notei que deste poema, destacaria tudo... é maravilhoso... incrivelmente lindo...

    Quanto ao JUÍZO FINAL, é lindo... um beijo, que era só um beijo e foi até o juízo final... muito bom...

    Beijs de VC, teu BORDADOS, me emocionou...

    ResponderExcluir