Pesquisar este blog

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Sorrisos sem quimera / Poema MIL.


Sorrisos sem quimera...

Vaguei por entre sorrisos amarelos
Forçados e desconcertantes
Sorrisos que escondiam mistérios
Nos seus olhos fugidios e pululantes
Eram tantas faces e olhares errantes
Bocas balbuciando palavras desconexas
Perdidas de si, em algum lugar da mente
Vaguei por entre tais criaturas sem tino
 Mortos em vida, sem esfera e itinerário,
De olhares tristes e lacrimejantes
Tão evasivos tão alienados do mundo
Vaguei por entre sorrisos sem quimera
Caricaturas de almas partidas e solitárias
Que não suportaram o mundo conflitante
Não suportaram talvez os seus sofrimentos
Esconderam-se num lugar de suas mentes
Onde a ciência e a filosofia não alcançam
Evadiram-se da vida, fugiram da própria razão
Em suas auras as sombras de muitos danos
Em suas almas a tristeza e o lamento!

Maria Iraci Leal/MIL
27/01/2012
POA/RS/Brasil
Ó trabalho “Sorrisos sem quimera" de Maria Iraci Leal
Foi licenciado com uma Licença Creative Commons
Atribuição-Não Comercial-Sem Derivados 3.0-Não adaptada   

Um comentário:

  1. Nem todos sobrevivem a uma queda, a um abalroamento, nem todos passam imunes a indiferença de alguem, ou ao desprezo... ainda que sorrindo, estarão ausentes... Muito bom seu poema, amada IRFÃ... beijos de VC

    ResponderExcluir