Pesquisar este blog

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

SOBRE A COVARDIA

Nem fale
De amor e amizade
Se a tua voz é ouvida,
somente pelo espaço entre os dentes
e o punhal que mantem entre eles
Não é justo, não é honesto
Amor e amizade carecem de lealdade
As palavras tem de ser generosas
Os gestos largos
O entendimento vasto e imparcial
Respeito como guarnição
Positividade e bons sentimentos,
companheiros inseparáveis,
defensores comprometidos
Não fale de amor e amizade
Se não conhece bons sentimentos
Se o seu coração é que é covarde
Te fazendo fugir pelo comando delete
Falar mal das pessoas
é como ruminar veneno
Não desejar o bem, já é ruim
e bem menos honesto
que desejar o mal...
(que por cruel que seja, é autêntico)
Vibro e oro por pregadores do mal
Vibro e oro por quem fala do bem
Cantando amor e amizade
Genérica e vagamente
Sem a mínima noção do que seja
Fala de batatas como baratas
E jura que viu batatas correndo pelo chão
Pelos esgotos perdidas
O silencio é tão mais digno !
Não tenho nem nunca tive inimigos
E antes segurar na boca a agua da paciência
Do que mastigar maus sentimentos
Por tudo isso, me levantei e saí...
Suas palavras então, são suas... só suas...
Lhe caíram tão bem!!!

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho SOBRE A COVARDIA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

2 comentários:

  1. Mana Vera, um poema magnífico para a covardia, conduta própria de falsos e invejosos... bjs de mana MIL.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela presença e pelo comentário... adorei... o espírito foi esse... beijos MANINHA MIL... de VC

    ResponderExcluir