Pesquisar este blog

domingo, 22 de janeiro de 2012

Nas vagas / Poema MIL.


NAS VAGAS

Nas vagas dos teus olhos
Dormem os sonhos abortados
E os desejos que se recolhem
Aos tapetes da alma amofinados
O vazio das histórias mal vividas
A canção de amor jamais entoada
Nas vagas do teu silêncio
Abafadas as múltiplas palavras
D’um sentir tão imenso
Perderam-se de encontro ao vento
Na falha do gesto, da atitude desarvorada
Os queixumes, os lamentos e ciúmes
Mataram todos os intentos
Nas vagas dos teus olhos
Dormes tu e teus sonhos
Porque nunca quiseram ter
Nem viver um amor de verdade!

Maria Iraci Leal_MIL

25/08/11

POA/RS/Brasil
Ó trabalho "Nas vagas" de Maria Iraci Leal
foi licenciado com uma Licença Creative Commons
Atribuição-Não Comercial-Sem Derivados 3.0
Não adaptada   
                             

2 comentários:

  1. MANINHA MIL... adorei isso... mesmo...
    Até para o amor é preciso vontade, dos dois... beijos da IRFÃ VC

    ResponderExcluir