Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

EXCESSOS

EXCESSOS

EXCESSOS
Gosto do muito
da fartura,
da maciez
da fofura
carne exposta
clara branca escura
O excesso me desnorteia
me tira do serio
O que tenho e desejo
e não pecado
Já não há
como esconder
como negar
olhos desvendam
esconderijos
sempre a te desejar
excesso me desnorteia
me tira do serio
ANDRE RUIZ

2 comentários:

  1. Peculiaridades do poeta!!! rs... não há pecado no que o coração quer...
    Belo poema "confessional". Eu, por mim, so posso apreciar... belo poema... beijos de VC

    ResponderExcluir