Pesquisar este blog

sábado, 14 de janeiro de 2012

Do amor! Poema MIL.


Do amor! 

Coitado do amor 
Mofado entre palavras 
Que dizem tanto e tantas 
Promessas de bem querer 
Que correm pelas páginas 
Dos livros, dos livros, que pena! 
Amor que não sai da lousa 
Impotente de significado 
Não toca nem afaga a face 
Não enxuga a lágrima 
Vive entre rimas e metáforas 
Nas estrofes de um poema 
Vaga ao sabor dos ventos 
Como versos dolentes 
Que se arrastam aflitos 
Tentando alcançar o amor 
Alcançar olhos nos olhos 
O entrelaçar de mãos 
O encontro de almas 
O amor de verdade 
O beijo e o abraço 
A afeição! 

Maria Iraci Leal_MIL 
POA/RS/Brasil 
13/01/2012 
Página da Fonte de Imagens: 
 http://goticuseternus.blogspot.com/2011/07/amor-simplesmente-amor.html

2 comentários:

  1. Triste tempo do amor teórico, virtual... que vira palavra, aprisionada, cheio de significados diversos e subjetivos... amor é pulsação... beijos de VC, MINHA IRFÃ...

    ResponderExcluir