Pesquisar este blog

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

ATALHOS

ATALHO


ATALHO
Quero um atalho
com sombras refrescantes,
a esse meu raciocínio lento,
que por vezes me trai.
Minha alma tem
o peso das lembrança
de notas musicais,
sou lágrima que não chorei,
amor que não vivi,
que espero viver.
Sou meu melhor momento,
inquietação constante,
sou teu claro despertar.
Intenso, visceral,
sou vida que pulsa,
sangue quente corrente.
Quero um atalho
com sombras refrescantes
sou amor sou
constantemente amar.

ANDRE RUIZ

2 comentários:

  1. "sou lágrima que não chorei,
    amor que não vivi,
    que espero viver.
    Sou meu melhor momento,"

    Somos sim uma represa daquilo a que não demos vazão, daquilo que não dissemos, do silêncio que não praticamos, do que não vivemos e deveriamos ter vivido... Lindo demais... beijos Andre, de VC

    ResponderExcluir
  2. Poema maravilhoso, obrigado, bjs MIL.

    ResponderExcluir