Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Quase olhei


 
Quase olhei
Por que nem ao menos olhei para trás?
O que mudaria se eu tivesse olhado?
Eu voltava correndo para seus braços
Para beijá-lo de verdade
Entregar-me-ia de corpo e alma
Perderia totalmente a sanidade
Lutei fortemente contra esse desejo insano
O coração, porém gritava desesperadamente
Implorava para que eu ao menos olhasse
Tentei ser forte ao sentir você seguir seu rumo
                                               E em meio as minhas lágrimas                                              
Quase entrei na contra mão
Quase fiz a ultrapassagem perigosa
Colocando em risco todo o trânsito
Quase olhei... Porém segui meu caminho
Na tentativa de suportar a dor
A dor de ter dito não a minha falta de coragem!
LADY VAL

2 comentários:

  1. Quase entrei na contra mão
    Quase fiz a ultrapassagem perigosa
    Colocando em risco todo o trânsito
    Quase olhei... Porém segui meu caminho
    Na tentativa de suportar a dor
    A dor de ter dito não a minha falta de coragem!
    Oi querida Val, um poema maravilhoso!
    Quantas tbém disse não, hoje percebo que naquele momento era a única saída,obrigado por compartilhar , ameiiiiiii, bjs MIL.

    ResponderExcluir
  2. As vezes, dizemos não a nós mesmos, apesar de toda dor que nos causamos. Entretanto, amor também é renuncia. Não podemos aprisionar alguem que amamos... vê-lo infeliz, não nos faria felizes...
    As lágrimas que te impediam de ver o sinal, a ultrapassagem perigosa, as vezes também nos impede de ver o melhor caminho a seguir. Hora de parar, raciocinar, secar os olhos, respirar fundo (reduzir a marcha) e continuar...
    Amei querida VAL... amei... já tive de sufocar a vontade de sair correndo para abraçar alguem que estava partindo, sei como dói... beijos de VC

    ResponderExcluir