Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

DESVENDA-ME

DESVENDA-ME


DESVENDA-ME
Seus olhos
que passeavam
entre os tempos,
em meus templos
buscando
o infinito
da minha alma
se aprofundando.
Nos meus oceanos
de mistérios
rasgando
meu véu.
Vem desnuda -me
corpo e alma sou refém
desse olhar.
O que parecia ser segredo
agora você já sabe
e apenas amor

Eu te amo.
ANDRE RUIZ

Um comentário:

  1. André... que delicia de misterios e segredos... seus templos...

    "Vem desnuda -me
    corpo e alma sou refém"

    Uau... gostei muito... e parecia segredo...
    PRECIOSÍSSIMO... parabéns ANDRÉ... beijos de VC

    ResponderExcluir